Adorei sua visita, obrigada! Volte sempre!

Seguidores

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Nunca Desista de Ser Feliz!!!

Existem pedras? Não desista de andar...

Existem barreiras? Não desista de passar...

Existem os nós? È preciso desatar...

Existe o desânimo? È a pior coisa que há...

A Estrada é longa? Não desista de chegar...

Existe o cansaço? È preciso caminhar..

Existe a derrota? Você nasceu pra ganhar...

Existe o desamor? È fundamental amar..

Nunca, eu disse NUNCA
Desista de seus sonhos e de lutar por aquilo que acredita.
Pois os erros servem para nos ensinar
E não para nos desanimar!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

domingo, 28 de novembro de 2010

Vale a pena ler e refletir!!!

Essa é uma entre tantas outras reflexões que recomendo construir em sua vida, porque precisamos sair da inércia mental para a prática do amor.

Poderemos por vezes nos deparar com estágio tão avançado de deterioração da alma, que até poderemos nos questionar sobre qual a quantidade suportável de ódio, ou desequilíbrio em um coração.
Cada vez mais nós estamos tornando o mundo mais individualista, complexo e separatista.

As pessoas não trocam conhecimentos, afetos, informação, sorrisos, alegrias, etc. , apenas trocam "conveniências".
Interesses mesquinhos e diversos nos tornam escravocratas de uma imensidão ego centrista e famigerada, contrária aos processos de socialização.
Os valores pessoais estão sendo deixados para trás, passando para o primeiro plano tão somente aqueles considerados prioritários (interesseiros mesmo) e tornando assim o ser humano sem os verdadeiros limites de sensibilidade, humanidade, fraternidade em geral, de modo que a humanidade se torne realmente prospera.
A família, esta sendo deixada de lado, por conta do consumismo imediato e as conveniências sociais ("a turma vai, eu vou também") e a educação, que em minha opinião, é o alicerce principal que todo individuo precisa, parece não possuir o mesmo valor de décadas atrás, por inúmeras razões que o processo evolutivo transformou no que encontramos na nossa dura e fria realidade.
Aprendemos que é muito mais estar na moda se nos comportarmos indiferentes e insensíveis às demais pessoas, alienando-nos de inúmeros fatos sociais bem abaixo dos nossos olhos. Sofrimentos e ansiedades inúmeras desfilam acintosamente cada esquina, convidando-nos a contínuas reflexões e remodelamento da própria vida.
Passam despercebidos necessidades inúmeras das demais pessoas, num natural processo de sobrevivência tão somente, relegando-nos os caprichos de desfeitas, esbanjamentos, gastos supérfluos, acúmulo de bens materiais que de tantos até esquecemos da existência deles em nossas quinquilharias.
Uma sandália inservível para nós, poderá ser o abrigo aos pés sofridos de um outro alguém, que perambula descalço na caminhada da vida, ou uma roupa que nos parece fora-de-moda e por isso "não presta", ao relento de um canto qualquer no armário. Enquanto que braços inquietos em busca de proteção ao frio e insetos incômodos são mais corriqueiros do que se possa imaginar por nossa vã indiferença emocional.
Eu olho para as ruas, tantas vidas perdidas, sem rumo, abandonadas...

Eu vejo as crianças, sofridas, abusadas e sem esperança...
Eu vejo tanta falta de respeito, amor e compaixão...
Perambulam como  que sem identidade, necessidade, sentimento, carinho, ou existência de um lado emocional. 
Vejo o rio que é aprisionado em suas margens, forçado a seguir uma geologia nem sempre à própria vontade. Mesmo assim ele insiste em adubar e regar generosamente cada lado e o seu caminho, no percurso de volta ao mar.
Crianças, totalmente sem parâmetros sejam eles: comportamentais, sociais, educacionais que serão nosso futuro (a) empregado (a), amigo (a), marido ou esposa, companheiro (a) de trabalho, colegas de sala de aula, ou tão somente dos momentos de lazer.
Ser um "ficante" parece muito mais vantajoso porque não nos une a princípios de responsabilidades conjuntas, sem comprometimento algum, sem precisar dar satisfações ou cobranças inúmeras, sem agregar valores duradouros, ou mesmo sem ter o devido cuidado no arado que a terra precisa para vivificar a colheita tão esperada. No entanto, apenas os vínculos documentais parecem mais tentadores e até mesmo sedutores, porque criam expectativas jurídicas "vantajosas" em determinadas esferas sociais, quando muito mais acolhedor seria uma convivência harmoniosa, construtiva, salutar e beatificante para a estrutura familiar.
A teoria do "Primeiro EU", segundo eu, terceiro eu... parece cada vez mais acirrada e sem um freio controle, onde atropelar quem estiver pelo caminho é a maior premissa da sobrevivência de cada um.
Individualismo acirrado tecendo mil e uma formas de "tirar vantagem em tudo", numa clara alusão àquela famigerada "Lei do Gerson".
Esquece que o caminho é comum a todos, apenas os frutos na caminhada irão diferenciar na colheita, uma vez que poucos se preocupam na semeadura, rega, adubagem, colheita em tempo apropriado, zêlo e manutenção tão necessária a todo e qualquer relacionamento.
É o homem, ou a mulher, um filho ou outro ente-querido que sai de casa para determinado compromisso, esquecendo-se que alguém ficou preocupado por seu regresso e... um atraso qualquer já faz o coração disparar, num sofrego imenso, mergulhado numa ansiedade que não parece ter fim.
A vida moderna (se é que poderemos chamá-la desse modo) está aí em nossa frente, para podermos enfrentá-la e superá-la com os desafios e as barreiras que são impostas pelo mundo e fazendo assim as pessoas cada vez mais competitivas e habilidosas para que possam alcançar os seus objetivos e metas direta ou indiretamente. 
Insistimos muito mais no acúmulo de ódio, vingança, traição, desfeita, descaso, "dar o troco", revolta e tantos outros desequilíbrios que esquecemos que a vida é um filamento tênue e transitório. 

Esquecemos que esse filamento é o nosso único suporte na vida. Poderá (e isso vai acontecer cedo, ou tarde) romper-se indubitavelmente, trelando-nos numa viagem sem volta e com a função de colheita de todo o nosso trabalho, atitudes e relações na vida.
Tudo num emaranhado de condescendência do Criador.
Picotamos artimanhas cada vez mais ardilosas e famigeradas, em busca de satisfações tão efêmeras e nocivas, que esquecemos que é o amor a causa primária de todas as coisas.
Passamos por um estágio iluminado do firmamento, tendo a nossa oportunidade em iluminar as coisas, pessoas, regar uma planta, propagar sementes, colher frutos e até mesmo escrever um livro de interesse comum às demais pessoas alheias ao nosso mundinho individual.
Mas é primordial não esquecermos que em nossas veias passam sangue humano. Sentimentos, emoções as mais diversas, pluralismo de habilidades em nos fazer feliz, ou mesmo tristes.
Vemos pessoas com quem convivemos no dia-a-dia passar por nós, como se fôssemos uma cadeira, ou objeto qualquer, sem a menor importância ou registro de presença.
Isso dói na alma, pois somos balizados por uma alma vinda de um mesmo Criador. Estamos mergulhados no mesmo éter de essência divina.
No entanto, pessoas vagam entre si, de forma estranhamente alienadas, ou mesmo insensíveis à nossa presença, "notando-nos" tão somente nos momentos em que necessidades delas são prementes e saltitantes.
Mas fora disso, pessoas passam e somem na paisagem indiferentes ao tempo e momentos que não voltam mais.
Há momentos que surgem pensamentos que eu não gostaria de pensar e sentimentos que eu não gostaria de sentir. Eles só fazem surgir um aperto no peito e uma vontade imensa de chorar...
São coisas que eu gostaria que estivessem longe da minha cabeça e do meu coração, porém, às vezes, não é possível controlá-los. Por mais que tente esquecê-los, eles estão ai, são reais e me entristecem profundamente. Fazem-me verdadeiramente chorar. Não me vergonho de dizer isso, mas a dor é tanta que chorar é a única válvula de escape perceptível.

Por mais estranho que pareça a analogia, e até me perdoe pelo constante neologismo, temos o papel de livros na vida, mas com páginas eventualmente consultadas em momentos singulares.
De repente... parece um desfecho enigmático...

Procuramos determinada informação nesse mesmo livro e aquela página específica parece ter sido dizimada, ou arrancada de uma sequência de fatos.
Dói em nossos calcanhares uma espera infindável, por algo que parece não voltar mais atrás.
Assim estamos conduzidos por uma progressão de fatos, nem sempre previsíveis, ou mesmo com poderes de retorno à nossa vontade, passando como um raio (tamanha rapidez) as oportunidades inúmeras em nossa vida.

Parece até nem haver penalidades ou cobranças proporcionais para o rumo contrário da vida. Como se o "tanto faz, tanto fez", fosse mais aplicável, palatável e de sabor mais apreciado. 
Quem me dera poder interferir mais acintosamente em tudo isso!
Tudo se vai.
Tudo vai.
Só não sabemos em que estação o trem vai nos induzir a descer e apenas vê-lo seguir adiante, levando consigo nossas lembranças e sentimentos não alimentados no presente da vida que Deus nos ofertou. E por isso mesmo se chama "presente".
Um forte abraço e beijo no coração!!!
Via E-mail

sábado, 27 de novembro de 2010

Sonho de Liberdade!!!

Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar, sabe-se lá aonde.
As lágrimas? Não as seque, elas precisam correr, na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso! Esse, você deve segurar, não o deixe ir embora, agarre-o!
Persiga um sonho, mas não o deixe viver sozinho.
Alimente a sua alma com amor, cure as suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas, não enlouqueça por elas.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente!
Se estiver tudo certo, continue!
Se sentir saudades, mate-as.
Se perder um amor não se perca!
Se o achar segure-o!
Circunda-se de rosas, ama, bebe e cala.
O mais é nada!!!

Fernando Pessoa.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Isto é uma Vergonha Mundial!!!

  ....Dinamarca, uma vergonha

O mar se tinge de vermelho, entretanto não é devido aos efeitos climáticos da natureza.


Se deve a crueldade com que os seres humanos (ser civilizado) matam centenas dos famosos e inteligentíssimos. Golfinhos Calderon.


Isso acontece ano após ano na Ilha Feroe na Dinamarca. Deste massacre participam principalmente jovens.
Por que?
 
Para demonstrar que estes mesmo jovens já chegaram a uma idade adulta, estão maduros.



Em tal celebração, nada falta para a diversão. 
TODOS PARTICIPAM DE UMA MANEIRA OU DE OUTRA, matando ou vendo a crueldade “apoiando-a como espectador”
. 


Cabe mencionar que o golfinho calderon, como quase todas as outras espécies de golfinhos, se aproxima do homem unicamente para interagir e brincar em gesto de pura amizade. 



Eles não morrem instantaneamente, são cortados uma ou duas vezes com ganchos grossos. Nesse momento os golfinhos produzem um som estridente bem parecido ao choro de um recém-nascido.

Mas sofre e não há compaixão até que este dócil ser se sangre lentamente e sofra com feridas enormes até perder a consciência e morrer no seu próprio sangue. 


Finalmente estes heróis da ilha, agora são adultos racionais e direitos, já demonstraram sua maturidade.



Cuide do mundo, ele é sua casa!

Viva melhor!!!

O dia mais belo? Hoje.
A coisa mais fácil? Equivocar-se.
O obstáculo maior? O medo.
O erro maior? abandonar-se.
A raiz de todos os males? O egoísmo.
A distração mais bela? O trabalho.
A pior derrota? O desalento.
Os melhores professores? As crianças.
A primeira necessidade? Comunicar-se.
Que mais faz feliz? Ser útil aos demais.
O mistério maior? A morte.
O pior defeito? A mau humor.
A pessoa mais perigosa? A mentirosa.
O sentimento pior? O rancor.
O presente mais belo? O perdão.
O mais imprescindível? O lar.
A receita mais rápida? O caminho correto.
A sensação mais grata? A paz interior.
O resguardo mais eficaz? O sorriso.
O melhor remédio? O otimismo.
A maior satisfação? O dever cumprido.
A força mais potente do mundo? A fé.
As pessoas mais necessárias? Os pais.
A coisa mais bela? O amor!!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Voltando da Guerra! História Verídica!

Esta história é sobre um soldado que finalmente estava voltando para casa depois de ter lutado no Vietnã.

Ele ligou para seus pais quando chegou em São Francisco:

- Mãe, Pai, eu estou voltando para casa, mas, eu tenho um favor a pedir. Eu tenho um amigo que gostaria de trazer comigo.

- Claro! Nós adoraríamos conhecê-lo !!!

- Há algo que vocês precisam saber - continuou o filho.

- Ele foi terrivelmente ferido na luta; pisou em uma mina e perdeu um braço e uma perna. Não tem nenhum lugar para ir e, por isso, eu quero que ele venha morar conosco.

- Eu sinto muito em ouvir isso filho, nós talvez possamos encontrar um lugar para ele morar.

- Não, eu quero que ele venha morar conosco.

- Filho, você não sabe o que está pedindo. Alguém com tanta dificuldade seria um grande fardo para nós. Nós temos nossas próprias vidas e não podemos deixar que uma coisa como esta interfira em nosso modo de viver. Acho que você deveria voltar para casa e esquecer este rapaz. Ele encontrará uma maneira de viver por si mesmo.

Neste momento o filho bateu o telefone. Os pais não ouviram mais nenhuma palavra dele.

Alguns dias depois, eles receberam um telefonema da polícia de São Francisco. O filho havia morrido, depois de ter caído de um prédio.

A polícia acreditava em suicídio.

Os pais angustiados voaram para São Francisco e foram levados para o necrotério a fim de identificar o corpo do filho.

Eles o reconheceram, mas, para o seu horror, descobriram que o filho deles tinha apenas um braço e uma perna.

Os pais, nesta história são como muitos de nós.
Achamos fácil amar aqueles que são bonitos ou divertidos, mas, não gostamos das pessoas que nos incomodam ou nos fazem sentir desconfortáveis.
De preferência, ficamos longe delas e de outras que não são saudáveis, bonitas ou espertas como nós.
Precisamos aceitar as pessoas como elas são, e ajudar a todos a compreender aqueles que são diferentes de nós.
Há um milagre chamado AMIZADE, que mora em nosso coração.
Você não sabe como ele acontece ou quando surge.
Mas, você sabe que este sentimento especial aflora e percebe que a Amizade é o presente mais precioso de Deus.
Amigos nos fazem sorrir e nos encorajam para o sucesso.
Nos emprestam um ouvido, compartilham uma palavra de incentivo e estão sempre com o coração aberto...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Você acha que já viu de tudo???

Existe uma Empresa, que produz e instala sistemas de lava-carros ( Magic Wand Car Wash System ).
Recentemente esta Empresa instalou um Lava-Carros em Frederik Md USA.
Esses sistemas são completos e incluem até troca e recebimento de dinheiro em caixa automático.
O problema começou quando o comprador desse sistema reclamou ao fabricante que a cada semana um certo montante de moedas era perdido.
O dono do Lava-Carros chegou a dizer que os funcionários do fabricante teriam as chaves do depósito de moedas, e seria assim que ele estava sendo roubado.
Não acreditando que alguém estivesse fazendo aquilo, o fabricante instalou câmeras para pegar o ladão "no flagra."

Veja o que aconteceu:
1 - Observe o passarinho sentado no orifício onde são colocadas as moedas.
2 - Agora o passarinho entra na caixa pra pegar as moedas.
3 - Veja o passarinho carregando US$0.75 em seu bico (3 moedas). 
4 - O mais intrigante é que deu pra notar que isso vinha sendo feito por vários passarinhos (formação de quadrilha)

Uma vez identificados os ladrões, foram achados mais de US$ 4.000 em moedas de US $ 0.25 no telhado do Lava-Carros e em outros das redondezas. Vc achou que já tinha visto de tudo? 

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O Melhor Ginecologista!!!

Uma mulher chega apavorada no consultório de seu ginecologista e diz: 

- Doutor, o senhor terá que me ajudar num problema muito sério.. Este meu bebê ainda não completou um ano e já estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro... 

O médico então perguntou: -Muito bem. O que a senhora quer que eu faça? 

A mulher respondeu:
-Desejo interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda. 

O médico então pensou um pouco e depois de algum tempo em silêncio disse para a mulher:
-Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora. 

A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido. 

Ele então completou:-Veja bem minha senhora, para não ter que ficar com dois bebês de uma vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, a senhora poderá descansar para ver o outro, terá um período  de descanso até o outro nascer. Se vamos matar, não há  diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora  não correrá nenhum risco... 

A mulher apavorou-se e disse: -Não doutor! Que horror! 
Matar um criança é um crime. 

-Também acho minha senhora, mas me pareceu tão convencida disso, que por um momento pensei em ajudá-la. 

O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que  a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre matar a criança que nasceu e matar uma ainda  por nascer, mas já viva no seio materno. 
O CRIME É EXATAMENTE O MESMO!!!!! 
Você sabe desde quando Deus te ama? 
DESDE O VENTRE DA TUA MÃE!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Oração do Amigo!!!

Há muito se diz que, quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro precioso. Há muito se diz que amizade verdadeira dura pra sempre. Não tem aquelas tempestades da paixão e nem a calmaria exagerada do descompromisso. É o meio termo. É a bonita sensação do estar perto e, de repente, deixar o silêncio chegar. Não exige tanto. Exige tudo.
As amizades nascem do acaso. Ou de alguma força que faz com que uma simples brincadeira, uma informação, um caderno emprestado, uma dor seja capaz de unir duas pessoas. E a cumplicidade vai ganhando corpo, e o desejo de estar junto vai aumentando, e, com ele, a sensação sempre boa do poder partilhar, de se doar.
Há muito se diz que os amigos verdadeiros são aqueles que se fazem presentes nos momentos mais difíceis da vida, naqueles momentos em que a dor parece querer superar o desejo de viver.
De fato, os amigos são necessários nesses momentos. Mas, talvez, a amizade maior seja aquela em que o amigo seja capaz de estar ao lado do outro nos momentos de glória, e vibrar com essa glória. Não ter inveja. Não querer destruir o troféu conquistado. Aplaudir e se fazer presente. Ser presente.

A amizade não obedece à ordem da proporcionalidade do merecimento. Não há sentido em querer de volta tudo o que com generosidade se distribuiu. A cobrança esmaga o espontâneo da amizade. E a surpresa alimenta o desejo de estar junto.
O amigo gosta de surpreender o outro com pequenos gestos. Coisas aqui e ali que roubam um sorriso, um abraço, um suspiro. E tudo puro, e tudo lindo.
Há muito se diz que não é possível viver sozinho. A jornada é penosa e, sem amparo, é difícil caminhar.
Juntos, os pássaros voam com mais tranquilidade. Juntas, as gaivotas revezam a liderança para que nem uma delas se canse demais.
Juntos, é possível aos golfinhos comentarem a beleza de um oceano infinito. Juntos, mulheres e homens partilham momentos inesquecíveis de uma natureza que não se cansa de surpreender.
Eu te peço, Senhor, nessa singela oração, que me dês a graça de ser fiel aos meus amigos. São poucos. E impossível seria que fossem muitos. São poucos, mas são preciosos. Eu te peço, Senhor, que me afastes do mal da inveja que traz consigo outros desvios. A fofoca. A terrível fofoca que humilha, que maltrata, que faz sofrer.
Eu te peço, Senhor, que o sucesso do outro me impulsione a construir o meu caminho, e que jamais eu tenha ânsia de querer atrapalhar a subida de meu amigo. Eu te peço, Senhor, a graça de ser leal. Que eu saiba ouvir sempre e saiba quando é necessário falar.
Senhor, sei que a regra de ouro da amizade consiste em não fazer ao amigo aquilo que eu não gostaria que ele me fizesse. E te peço que eu seja fiel a essa intenção. E sei que essa regra fará com que o que se diz há tanto tempo se realize na minha vida. Que eu tenha poucos amigos, mas amigos que permaneçam para sempre.
Não poderia ter muitos. Não teria tempo para cuidar de todos. E de amigo agente cuida. Amigo a gente acolhe, a gente ama.
Senhor, protege os meus amigos. Que, nessa linda jornada, consigamos conviver em harmonia. Que, nesse lindo espetáculo, possamos subir juntos ao palco. Sem protagonista.
Ou melhor, que todos sejam protagonistas, e que todos percebam a importância de estar ali. No palco. Na vida.
Obrigado, Senhor, pelo dom de viver e de conviver. Obrigado, Senhor, pelo dom de sentir e de manifestar o meu sentimento. Obrigado, Senhor, pela capacidade de amar, que é abundante e é sem-fim.

Gabriel Chalita

domingo, 21 de novembro de 2010

O Doce Aroma do Café!!!

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam difíceis para ela.
Ela não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar e combater, sem nenhum resultado.
Parecía que assim que um problema estava resolvido um outro aparecia.
Seu Pai, um “chef” de cozinha, levou-a ao seu local de trabalho.
Ali encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto.
Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e na última colocou pó de café.
Deixou que tudo fervesse sem dizer uma palavra, só olhava e sorria para sua filha enquanto esperava.
A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que êle estaria fazendo.
Cerca de vinte minutos depois, ele apagou a boca do fogão.
Retirou os ovos e os colocou em um recipiente, pegou as cenouras e as colocou em um prato e finalmente pegou o café com uma concha e o colocou em uma tijelinha.
Virando-se para sua filha, perguntou: Querida, o quê vê?
“Ovos, cenouras e café” Foi a sua resposta.
Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.
Ele, então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.
Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura.
Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.
Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.
Surpreendida e intrigada a filha perguntou: O que isto significa, pai?
Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade: Água fervendo.
Só que haviam reagidos de maneira diferente.
A cenoura entrara na água, forte, firme e inflexível. Mas depois de ter sido submetida á água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.
Os ovos haviam entrado na água, frágeis.
Sua casca fina havia protegido seu líquido.
Mas depois de terem sido fervidos na água, seu interior se tornou mais endurecido
O pó de café, contudo, era incomparável.
Depois que fora colocado na água fervendo, ele havia mudado a água.
Qual dos três elementos é você?
Quando a adversidade bate a sua porta, como você responde?

Ele perguntou a sua filha.
Você é do tipo cenoura, ovo ou pó de café?
Qual dos três elementos é você?
Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a adversidade você murcha e se torna frágil e perde sua força?
Será que você é como um ovo, que começa com um coração maleável, com um espírito fluido, mas depois de alguma morte, uma separação, uma doença ou uma demissão, voce se torna mais difícil, duro e inflexivel?
Sua casca parece a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexiveis?
Ou será que você é como o pó de café?
O Café muda a água fervente, o elemento que lhe causa a dor, quando a água chega ao ponto máximo de sua fervura, ele consegue o máximo de seu sabor e aroma.
Que Deus o faça como o pó de café, que quando as coisas ficam ruins, você possa reagir de forma positiva, se tornando melhor sem se deixar vencer pelas circunstancias, e fazendo com que as coisas em torno de você também se tornem melhores!
Que diante da adversidade da vida exista sempre uma luz que ilumine teu caminho e a todas as pessoas que te rodeia.
Para que possas sempre espalhar e irradiar com tua força, otimismo e alegria o “Doce aroma do café”
Para que nunca perca esse cheiro agradável e inigualável que só você sabe transmitir as outras pessoas.
E transformar a adversidade em algo melhor, amparado por Deus.
Somos nós os responsáveis pelas próprias decisões.
Cabe a nós, somente a nós, decidir se a crise irá ou não afetar nosso rendimento profissional, nossos relacionamentos pessoais, nossa vida.
Ao ouvir outras pessoas reclamando da situação, ofereça uma palavra positiva.
Mas você precisa acreditar nisso
Confiar que você tem capacidade suficiente para superar este desafio.
Espero que, nestas semanas que se seguem, quando lhe convidarem para tomar um café, você possa repassar essa história.
Uma vida não tem importância se não for capaz de imputar positivamente a outras vidas.
O que você é: cenoura, ovo ou café?
Vamos procurar ser CAFÉ, usando as adversidades para modificar o sabor da vida, com um aroma sempre especial 

Related Posts with Thumbnails

Postagens populares